Trending

Prefeito de Nova York impõe vacinação obrigatória a todos

 


O atual prefeito, que será substituído no dia 1º de janeiro por Eric Adams, anunciou nesta segunda-feira a imunização obrigatória em todas as empresas privadas da cidade. A medida foi adotada depois que a Justiça congelou, na semana passada, a implementação da exigência de teste e de vacinação para empresas com 100 ou mais funcionários, que havia sido estabelecida pelo Governo do presidente Joe Biden em sua intensa e ativa política contra a pandemia.



Variante ômicron, num momento de proximidade das festas de Natal, no efeito do frio e na transmissão da gripe em paralelo, mais a inércia dos contágios pela variante delta. O prefeito descreveu a medida, a primeira do gênero no país e que entrará em vigor no dia 27 de dezembro, como um “ataque preventivo” para conter mais uma onda de infecções por coronavírus e mitigar ao máximo a transmissão comunitária da nova variante, da qual oito casos foram detectados na cidade neste fim de semana.



Anthony Fauci, conseguiu tranquilizar os mercados que abriram nesta segunda-feira em alta ao afirmar no domingo que os dados preliminares sobre a doença causada por essa variante são animadores. Em declarações à CNN, o epidemiologista afirmou que os primeiros indícios sugerem que seria menos perigosa que a delta, que continua a representar 99% dos casos e está provocando o aumento das internações.



Mas temos que ter muito cuidado antes de estabelecer que é menos grave, ou que não causa de fato uma doença grave em comparação com a delta.” O médico oficial da Casa Branca também deixou a porta aberta para suspender as restrições de viagem impostas a oito países do sul da África, conforme a situação evoluir.



Revés imposto pela justiça federal à medida da Administração Biden. Escolas particulares, principalmente religiosas, reagiram com irritação à vacinação obrigatória. Dirigentes de escolas judaicas e católicas pediram que De Blasio reconsidere sua decisão, que afeta 930 locais e cerca de 56.000 trabalhadores. De acordo com a portaria municipal, eles têm prazo até o dia 20 para receber pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19.



Lamenta no pedido o rabino David Zwiebel, representante de uma associação de instituições judaicas e cristãs. Muitas congregações se recusam a aderir à vacinação por motivos religiosos. Os redutos de judeus ultraortodoxos na cidade têm taxas de vacinação que giram em torno de 50%.



Sindicatos, e estima-se que mais de 95% dos empregados do Departamento de Educação estejam imunizados. O prefeito tem resistido em estabelecer a obrigatoriedade para os estudantes, como fizeram outras cidades do país. De Blasio decretou, no entanto, que as regras de acesso a restaurantes e locais de lazer também sejam impostas a menores de 5 a 11 anos.



Passageiros no metrô ou clientes em supermercados desconsideram a recomendação e tornou a vacina obrigatória para creches e a educação infantil. Todos os funcionários públicos da cidade, incluindo policiais e bombeiros, também estão teoricamente obrigados a se vacinar. Taxas de imunização entre essas corporações dispararam nas últimas semanas.



Obrigatório ter as duas doses para o acesso ao interior de restaurantes, teatros ou academias. O número de casos se multiplicou exponencialmente na cidade desde 1º de novembro, com aumento de mais de 75% e média de 1.500 infecções por dia, segundo o Departamento de Saúde municipal. Em relação à variante ômicron, as autoridades sanitárias rastreiam os contatos dos participantes de um evento supercontagioso, uma convenção de anime, que reuniu 53.000 pessoas em três dias no último final de semana de novembro.










FONTE: BRASIL NOTÍCIAS ONLINE 1,MELHOR DO CONTEÚDO ONLINE ...

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem