CONFIRA

União Europeia recomenda isolar todas as áreas com mais de 500

 


Movimento para isolar drasticamente áreas com uma incidência acumulada de mais de 500 casos de covid-19 por 100.000 habitantes em 14 dias. A nova recomendação, que Bruxelas espera que os Estados-Membros aprovem em questão de horas ou dias, significaria a proibição de viajar, exceto por razões excepcionais, para os residentes das áreas afetadas. Muitas províncias espanholas, incluindo Madri e Barcelona, ultrapassam o limite estabelecido pela Comissão.

Turismo a deslocamentos de trabalho ou em família que não sejam avaliadas como imprescindíveis. Apenas as transportadoras estarão isentas e, de acordo com a Comissão, deverão ser autorizadas a passar sem a imposição de medidas restritivas, como quarentenas.

Ursula von der Leyen, após a aprovação do projeto com as novas medidas restritivas. A recomendação fará o continente voltar a uma situação de semiparalisia semelhante à registrada no primeiro semestre do ano passado, durante a primeira onda da pandemia.

Dados do Ministério da Saúde, de sexta-feira, ficariam fora deste confinamento europeu seriam as Ilhas Canárias e a costa cantábrica: Astúrias, Cantábria, País Basco e Navarra. Nas demais Comunidades Autônomas, a norma impedirá o deslocamento para o restante da Europa, bem como a chegada de pessoas do exterior enquanto o índice não cair para menos de 500 casos.

Cepas do vírus, uma escalada de casos que já elevou o alarme em quase todos os países da União Europeia. A recomendação atual, adotada em outubro, estabeleceu limites de movimentação para áreas com mais de 150 casos e menos de 500, mas em nenhum caso contemplou a proibição categórica de movimentos.

Estados-Membros têm que desencorajar fortemente as viagens não essenciais de e para áreas classificadas como vermelho escuro”. O documento só contempla exceções para a passagem do transporte de mercadorias, atividade para a qual será fixado um sistema de vias abertas nas fronteiras, e para os trabalhadores transfronteiriços em serviços essenciais, como a saúde.

Viajar a possibilidade de se submeterem a um teste prévio e a obrigação de manter quarentena na chegada. O teste na área de destino só será possível para os cidadãos do país que regressem do estrangeiro e que não tenham podido fazer um teste prévio.

Recomendação nestas áreas é não viajar”, afirmou a comissária europeia para o Interior, Ylva Johansson, durante a coletiva de imprensa após a aprovação do projeto.

Mostram que as variantes surgidas nas últimas semanas são entre 50% e 70% mais transmissíveis. O órgão comunitário reconhece que a aplicação das vacinas, em curso desde o final de dezembro, não será suficiente por enquanto para conter essa disseminação, principalmente após o resultado na produção anunciado tanto pela BionTech/Pfizer como pela Oxford/AstraZeneca.



FONTE: Brasil Elpais

Postar um comentário

0 Comentários