Clique abaixo para manter o site online

Hackers vazam supostos dados de 200 mil militares



Governo federal com a exposição de supostos dados de 200 mil militares. O grupo exige que a instituição reaja às recentes declarações e atitudes do presidente da república, Jair Bolsonaro, que vão contra às recomendações de autoridades de saúde em relação à pandemia da covid-19.

Milhares de funcionários públicos e integrantes do exército nacional. No texto que acompanha a descrição dos dados, o grupo destaca as declarações e ações mais polêmicas do atual presidente desde o dia 10 de março associando isso com os números da pandemia no Brasil.

Realização de um evento com o próprio presidente. Assim que descoberta pela imprensa, a licitação R$ 3 milhões que seriam usados na locação de estruturas de eventos foi revogada pelo comando do Exército.

Invasão, o grupo tornou pública e disponível para download uma parcela dessas supostas informações obtidas nos bancos de dados do Exército. O restante, por sua vez, pode ser comprado em negociação direta com o grupo hacker que não forneceu detalhes sobre a transação ou o custo dos supostos dados.

Arquivos apontam que a ação hacker foi feita recentemente. Em uma inspeção, o TecMundo encontrou dados sensíveis de milhares de indivíduos. Entre eles estão: e-mails institucionais do Exército Brasileiro; nomes completos; contas e agências bancárias; títulos de eleitor e números de telefone.

FONTE: TECMUNDO

Postar um comentário

0 Comentários