Clique abaixo para manter o site online

Trump suspenderá concessão de green cards


Consiste em paralisar durante dois meses a concessão de autorizações permanentes de residência, os green cards. O esclarecimento veio da boca do próprio Trump na coletiva de imprensa desta terça-feira na Casa Branca, depois de horas em que políticos, empresas e imigrantes tentavam entender o alcance de uma ameaça desse calibre lançada no Twitter. Trump justificou a decisão para “proteger o trabalhador americano” em uma iminente volta à atividade paralisada pela emergência sanitária da covid-19.

Assunto que afeta centenas de milhares de pessoas. A suspensão da concessão de autorizações permanentes durará 60 dias, prorrogáveis dependendo das circunstâncias, que serão avaliadas pelo próprio Trump. Ele também se mostrou aberto a reduzir esse período. Afeta apenas essas autorizações e não as centenas de milhares de vistos de não imigrante ou as autorizações de trabalho temporárias concedidas a trabalhadores rurais ou profissionais médicos.

Momento parece ser o dano à atividade econômica devido às medidas de contenção da propagação do vírus, que já matou mais de 44.000 norte-americanos. Nesse contexto, disse que queria “colocar os americanos em primeiro lugar na fila” para recuperar o emprego em uma eventual recuperação econômica. Também mencionou que queria “reservar recursos cruciais para os americanos”.

Os Estados Unidos concederam 1,18 milhão de green cards em 2018, o último ano para o qual existem dados completos. O número se manteve ao redor de um milhão na última década. Aproximadamente metade é para pessoas que já estão no país. A maioria (cerca de 900.000) foi concedida por razões familiares. Apenas 138.000 foram de autorizações justificadas por trabalho. Por país, o maior número de solicitantes é do México, Cuba, China e Índia. Mais da metade dos beneficiários do green card vive em apenas quatro Estados, as quatro maiores economias dos Estados Unidos: Califórnia, Nova York, Flórida e Texas.

8,7 milhões de vistos de não imigrante em 2019, ou seja, não são autorizações de trabalho. A suspensão dos serviços consulares devido ao coronavírus já havia congelado de fato a concessão de vistos.

Remeteu-se a uma informação posterior. “A ordem está sendo redigida neste momento”, disse. Adiantou que provavelmente estará pronta para ser assinada na quarta-feira. De suas palavras se deduz que planeja modificar a ordem no decorrer dos acontecimentos se necessário. Perguntado se não estava aproveitando a crise para usar o trunfo da imigração, respondeu: “Espero que um dia estejamos na posição de ter esse debate (sobre a imigração em geral). Neste momento, não”, disse.

Quero que nossos cidadãos tenham trabalho e que não tenham concorrência. Esta é uma situação muito inusual. Ninguém viu nada assim em muitas, muitas décadas. Não quero que compitam. Existe muita diferença em relação a uma situação na qual temos uma economia funcionando a todo vapor.

Que a medida “não afeta os agricultores”, reconhecendo implicitamente que os trabalhadores rurais são essenciais para colocar alimentos nos supermercados. O trabalho rural é feito principalmente por imigrantes sem documentos.



FONTE: Brasil Elpais

Postar um comentário

0 Comentários